Vilanizando o Panteão – A Igreja de Khalmyr

Olá pessoal, hoje quero iniciar uma nova série de posts para Tormenta. A série Vilanizando o Panteão tem como objetivo servir como plots para aventuras, inspiração para campanhas e discussão para fãs do cenário. Eu não acredito na unidade das igrejas e acredito que a partir dessa heterogeneidade dos cleros o cenário pode se desenvolver bastante. Para iniciar a série vamos vilanizar uma ordem de Khalmyr, Deus da Justiça.

A Ordem da Sagrada Justiça Divina: Esta ordem de cavaleiros, seguidores dos preceitos do Deus da Justiça, foi fundada em 1407 por Louis “Braço da Justiça” Clark, um poderoso clérigo de Khalmyr que foi treinado na Ordem dos Cavaleiros da Luz em 1379. Em 1403 ele desertou pois acreditava que a justiça jamais seria alcançada enquanto os homens se mantivessem presos à justiça terrena. Por dois anos ele viajou, montado em seu corcel, visitando diversas igrejas e ordens de Khalmyr espalhadas por toda Arton e angariando seguidores com a mesma filosofia que a sua. A Ordem da Sagrada Justiça Divina possui sua sede em Portsmouth, que acolheu a ideia dos cavaleiros desertores. O boato que corre em Bielefield e em Deheon é que o Velho Abutre está manipulando o idealista Louis Clark para fins ainda desconhecidos.

Os preceitos da Ordem: A principal doutrina da Ordem é o que eles chamam de A Justiça Divina. Segundo ela, o mortal é incapaz de alcançar um estado de ordem e justiça naturalmente, cabendo a poucos escolhidos por Khalmyr conduzi-los. Para tanto é dever sagrado da Ordem coibir a liberdade individual, pois esta é o caminho para toda a injustiça e desordem do mundo. A Ordem da Sagrada Justiça Divina acredita que a liberdade é a maior das bençãos e que os mortais ainda não são merecedores dela.

Ganchos para Aventuras: 

  • Espiões, a serviço da corte de Valkária, relatam que o Conde Ferren Asloth e Louis Clark planejam tornar o reino de Portsmouth o primeiro, dentro do Reinado, a adotar e incentivar a escravidão.
  • Uma grave crise diplomática se instalou entre Bielefield e Portsmouth, estimulada pelas duas ordens rivais de cavaleiros de Khalmyr. A crise reavivou velhas indiferenças e intolerâncias nas fronteiras entre os reinos. A busca por aliados começou.
  • Algum NPC amigo dos personagens jogadores foi capturado e feito escravo pela Ordem da Sagrada Justiça Divina. Cabe a eles, agora que sabem que existe escravidão dentro dO Reinado, decidirem o que farão com isso. Libertarão a todos ou apenas o seu amigo?
E aí pessoal, gostaram da série? O que acharam da ideia de vilanizar as religiões artonianas?
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s