Este "Mundo das Trevas" Mortal

No dia 6 de janeiro, domingo passado, joguei/mestrei RPG pela primeira vez em 2013. Reuni o meu grupo, decidimos alguns detalhes de nossa campanha de D&D 4e que começará este ano (eles me pediram para que seja em Dark Sun, meu cenário favorito da 4ª edição do Dungeons and Dragons) e jogamos Este Corpo Mortal. Abaixo você pode conferir a ficha-tema que criamos, os personagens jogadores, coadjuvantes usados na sessão e um reporte de sessão.


Os jogadores: Esta foi uma sessão onde mestrei para uma mesa cheia. Compareceram: Felipe (o jogador que sempre faz personagens “peculiares”), Romário (o “bárbaro” do grupo, até quando não jogamos um RPG medieval!), Társila (minha noiva, que me deu a alegria de se tornar uma RPGista, ainda que casual), Jair (que não tinha curtido o Este Corpo Mortal, pelo menos até esta sessão), Rodrigo (meu irmão, que estava doido pra conhecer o Este Corpo Mortal) e Jefferson (o jogador que nunca sabe regra alguma de nenhum RPG).


Ficha Tema

Tom: Realista, sombrio e magicamente intenso (a “magia” é poderosa).

Cenário: Mundo das Trevas, da White Wolf, ambientado em Caracas (Venezuela), janeiro de 2013.

O Sobrenatural: É definido pelos seres sobrenaturais que existem e espreitam ocultos. Essa “magia” é horripilante, desconhecida pela grande maioria das pessoas e se mostra especialmente presente em alguns lugares específicos (tumbas, cemitérios, igrejas e etc).

Magia: Este será um jogo de baixa magia, visto que os jogadores interpretarão personagens comuns, que se depararão com uma realidade assustadora.

Situações de Conflito: Bem x Mau e Humanidade x Monstruosidade.

Vilões: Hugo Chávez (sim, o presidente da Venezuela), vampiros, lobisomens, magos e outras criaturas do Mundo das Trevas.

Os Personagens



Coadjuvantes



Cenas

Cena 01 – Investigação policial: A investigadora de polícia Paola Castro investiga uma onda de desaparecimentos que têm ocorrido em Caracas. As investigações levam para uma direção: Blade Wolf, um poderoso mafioso que controla o submundo da capital venezuelana. Paola vai até uma das boates de Blade, procurando pelo corpo de uma jovem que havia desaparecido na noite anterior. O chefão do crime permitiu que a jovem investigadora inspecionasse o lugar, sob a supervisão de alguns de seus homens, é claro. Infelizmente a jovem não foi encontrada no local, o que levou a ainda mais perguntas: se o chefe da máfia não estiver envolvido nesses desaparecimentos, quem mais poderia esconder tão bem tantos corpos? 

Cena 02 – Mais um dia de trabalho: Erick Legion é um médico legista que realiza trabalhos “especiais” para quem puder pagar, ele falsifica documentos e faz com que assassinatos sejam “na verdade” parada cardíaca ou outro mal súbito. Enquanto a TV anuncia que o quadro do presidente Hugo Chávez está estável, uma misteriosa mulher entra na sala seguida por dois brutamontes que empurram uma maca metálica onde um corpo repousa dentro de um saco preto. Ela é uma cliente do médico, sempre aparece com algum corpo que precisa ter uma causa de morte “maquiada”. Ela paga bem, em dinheiro vivo, e Erick aprendeu que não deve fazer perguntas. É dito ao legista que o corpo pertence a um indigente e que a papelada deve ser preparada com certa urgência, pois ela viria buscá-lo em uma hora. A curiosidade foi grande e o médico deu uma espiada no corpo. Para seu espanto se tratava do presidente Chávez, careca e com o corpo repleto de estranhas marcas, feitas com algum tipo de instrumento cortante. Alguns instantes depois a maca começa a vibrar e o corpo não parece “tão morto” como antes. Desesperado, Erick foge sem olhar para trás!

Cena 03 – Bar, um lugar para conhecer pessoas: Altéz estava no balcão da boate “La Luz”, no mesmo momento em que Paola a investiga, quando um “jovem estranho” paga uma bebida para ele. O mendigo aprecia o gesto e se aproxima do rapaz. Altéz é convidado para uma “festinha” mais íntima na casa do “jovem estranho”. Um conflito se iniciou, Altéz querendo permanecer na boate e o “jovem estranho” querendo convencê-lo a ir para sua casa. Apostas feitas e o mendigo se saiu melhor, convenceu o vampiro a permanecer pelo menos mais um pouco no bar da boate, afinal ali poderiam encontrar outras pessoas para a “festinha”. Sobrou para o barman, que foi convencido (após a resolução do conflito) pelo vampiro a se juntar a eles. O jogador usou um marcador de poder para inserir a investigadora na cena neste exato momento, para que ela lhe pedisse um drink e isso o “forçasse” a interromper o papo com a estranha dupla.

Cena 04 – Queima de arquivo: Assustado com o que presenciou, Erick ruma, a pé, para sua casa, que não fica muito distante do seu trabalho. Ele logo nota que está sendo seguido por dois rapazes em um noite chuvosa de Caracas. Ele apressa o passo, mas não consegue despistar seus perseguidores. Uma viatura policial observa a cena, mas o médico tem um estranho pressentimento quanto a ela.  Quando ele se aproxima de sua casa nota que os dois homens já estão na sua porta, esperando por ele. Um dos homens se aproxima, diz que ele já viu demais e que é hora dele desaparecer. Társila, a jogadora que interpreta a investigadora de polícia, usa um dos seus marcadores de poder para se inserir na cena. Bem no momento em que o legista estava prestes a ser executado a investigadora passa de carro pela rua, reconhece o médico, encosta o carro e pergunta se está tudo bem.

Cena 05 – OPPA MATRIX STYLE: A investigadora desce do carro e exige saber o que está acontecendo (a jogadora sabia que o vampiro não poderia mordê-la por causa do pingente de cruz que ela usava). Eu não perdoei, o vampiro sacou uma pistola e atirou na cabeça da detetive! Essa cena rendeu a melhor frase da tarde: “Vampiro usa arma?!”. Sim, vampiros, que não são gays como os de Crepúsculo, usam armas e não têm medo de usá-las. Vendo que Paola iria morrer TODOS os jogadores gastaram seus marcadores de poder e se inseriram na cena. Altéz passa de carro com o “jovem estranho”, em direção à festinha dele, mas não consegue convencer o vampiro a parar o carro (mestre malvado ensinando a um jogador não bancar o espertinho com um vampiro). Blade, e grande parte de seus capangas, passam em um comboio de 10 carros no exato momento em que o vampiro ergue a arma para a detetive. O mafioso, que gostou da investigadora, resolve intervir: com muita bala nos “bandidinhos de rua” que ousavam cometer um crime na “sua cidade”. Aqui o jogo foi bem “X-Men Noturnos” como diz o Marcelo Dior do Vozes da Terceira Terra, muitos tiros, muitas apostas (que, em caso de sucesso, dariam um bônus para Paola evitar o tiro) e muitas mortes! A cena se resolveu com todos os vampiros “mortos” (na verdade os corpos sumiram enquanto Paola era socorrida) e a detetive com uma bala na cabeça! Embora ainda estivesse, por um milagre (e uma pequena ajuda do mestre) viva.
Cena 06 – Não pegue carona: O “jovem estranho” levou o mendigo até a sua casa, em uma parte isolada da cidade. Altéz, sozinho e desesperado a essa hora, não queria subir e o vampiro, faminto e excitado, queria apenas se alimentar logo. Um conflito se iniciou. O mendigo convenceu o vampiro que eles deveriam permanecer na rua por mais algum tempo, enquanto que o vampiro matou o personagem jogador e abandonou o corpo em um beco escuro (dirty DM).

Cena 07 – Vida ou morte: A sessão se encerrou com o chefão da máfia usando seus contatos para levar a detetive imediatamente para uma mesa de cirurgia, a sessão se encerrou com a vida da investigadora nas mãos do médico da máfia. 

Fatos Mágicos

Jogar Este Corpo Mortal é sempre divertido porque os jogadores ajudam o mestre a criar o mundo e suas características. Todos os jogadores sabem quais poderes um vampiro tem, ou pelo menos deveria ter. Mas neste RPG cada habilidade que seja oriunda dessa aptidão deve ser estabelecida ao longo do jogo. Muitos marcadores de magia foram gastos nesta sessão, eis o que se estabeleceu sobre vampiros e magos também, até agora:
  1. Vampiros só podem entrar em uma casa se forem convidados;
  2. As lendas sobre as fraquezas dos vampiros são verdadeiras (crucifixos, água benta, sol, estacas de madeira e etc);
  3. Vampiros podem se transformar em morcegos e lobos;
  4. Vampiros possuem sentidos super apurados;
  5. Espelhos não refletem um vampiro;
  6. Vampiros são sedutores e podem manipular a mente de mortais;
  7. Vampiros têm força sobre humana;
  8. Vampiros têm velocidade sobre humana;
  9. Magos podem prolongar uma vida indefinidamente através de magia negra.

Minhas Observações

Esta foi, sem dúvidas, a sessão mais divertida de Este Corpo Mortal. O grupo já está acostumado com o jogo e sua mecânica e os novatos se saíram muito bem. Eu não gosto do Storyteller/Storytelling, acho um sistema ruim, que nunca me interessou. Também não sou um grande fã do Mundo das Trevas, a pegada gótica/emo/gay nunca me animou, mas jogar uma versão (uma versão porque muita coisa será diferente aqui) do Mundo das Trevas, para Este Corpo Mortal, foi muito divertido, não vejo a hora de continuarmos o jogo. 

Anúncios

4 comentários sobre “Este "Mundo das Trevas" Mortal

  1. Seguinte, não joguei ainda ECM mas tenho vontade!
    Se por ventura eu curtir as regras/ambientação e se por ventura (novmente)eu queri afazer uma adaptação para jogar com vampiros (como no WoD mesmo) é possível? Tem como “emular” os poderes das disciplinas no ECM?

    Abração!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Curtir

  2. Eu acho que o Este Corpo Mortal emula muito bem o Mundo das Trevas. As mecânicas são simples e intuitivas.

    Neste RPG nada está definido até que você diga que está, gastando um marcador de magia, então você pode ir conferindo poderes e habilidades aos clãs ao longo do jogo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s